MENUMENU
XI Conferência Brasileira de Mídia Cidadã: mídias, cidadania e direitos humanos

Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

Vitória – 17 a 19 de outubro de 2016

 

Organização:

Rede Brasileira de Mídia Cidadã

Cátedra Unesco/Metodista de Comunicação para o Desenvolvimento Regional

Observatório da Mídia: direitos humanos, políticas, sistemas e transparência

Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades (PósCom/Ufes)

 

Informações:

http://eventos.ufes.br/index.php/midiacidada/

 

Chamada de trabalhos e experiências

 

Mídia Cidadã 2016

Agora é a vez de Vitória receber a XI Conferência Brasileira de Mídia Cidadã, a ser realizada entre os dias 17 e 19 de outubro de 2016 no campus de Goiabeiras da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), no âmbito das atividades da Semana Estadual de Ciência e Tecnologia. A organização local está sob a responsabilidade do Observatório da Mídia: direitos humanos, políticas, sistemas e transparência, grupo de pesquisa e ação vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades (PósCom/Ufes).

O tema escolhido para a Conferência de 2016 foi «Mídias, cidadania e direitos humanos», partindo doprincípio defendido pelo Observatório da Mídia de que o principal ator social do processo comunicacional – o cidadão – sempre esteve alijado do espaço público midiatizado, apesar do potencial emancipador que os meios de comunicação podem oferecer, desde que apropriadamente incorporados, não apenas como utensílios de consumo, mas como meios de/para um efetivo empoderamento social.

A Rede Brasileira de Mídia Cidadã confiou ao Observatório da Mídia o desafio de organizar um evento em reconhecimento às ações que já vem realizando desde 2006, inclusive com a VI edição da Conferência, no Recife, sobretudo na defesa e na promoção dos direitos humanos nos conteúdos midiáticos e nas fundamentações conceituais quanto ao controle social e à democratização da mídia no país.

 

Os eixos temáticos XI Conferência Brasileira de Mídia Cidadã serão:

  1. a) Mídias e cidadania;
  2. b) Mídias contra e para os direitos humanos;
  3. c) Direito humano à comunicação: conceitos, práticas e regulação; e
  4. d) Redes sociais e mídias alternativas.

Sendo que cada um deles dialoga entre si, dando uma série de possibilidades a pesquisadores, estudantes, militantes de movimentos sociais, profissionais de mídia e agentes públicos de promoverem intercâmbios a partir de suas perspectivas próprias. E a riqueza do diálogo proporcionado pelas conferências de Mídia Cidadã ocorre por sua modalidade de unir apresentações de reflexões acadêmicas com relatos de experiências em grupos de trabalho dinâmicos e propositivos.

Além dos GTs, há ainda a possibilidade de participação com exposições na Feira de Mídia Cidadã e/ou na Mostra de Vídeo Cidadão e de Arte Cidadã, da seguinte forma:

 

 

Os trabalhos, além de privilegiarem o tema central do evento, podem contemplar, ainda, uma temática mais ampla sobre comunicação cidadã. Assim, serão aceitos trabalhos, de cunho teórico/científico ou prático que:

  1. discorram sobre a construção e/ou efetivação de uma mídia que privilegie os indivíduos;
  2. pretendam analisar a grande mídia, apontando situações em que os cidadão não é respeitado e/ou mostrando ações dessa mesma mídia que esta posta que beneficiem os sujeitos e/ou comunidades;
  3. apresentem propostas e/ou avaliações de experimentações em comunicação cidadã.

 

Vale ressaltar que a mídia cidadã é aquela voltada para o indivíduo e para as comunidades, que leva em conta suas características ímpares e necessidades específicas. A comunicação cidadã ainda vislumbra uma mídia da qual as pessoas não sejam apenas receptoras, mas participantes da construção do conteúdoinformacional. Quando falamos em mídia ou comunicação cidadã  vislumbramos uma série de ideais que são, também, nossas temáticas de discussão: cidadania, democracia, participação, educação, acesso a comunicação e a cultura, inclusão, socialização de conhecimentos e tantas outras.

Observação: Todos os participantes, autores e co-autores deverão se inscrever no evento pelo site http://eventos.ufes.br/midiacidada . Caso não seja efetuada a inscrição, mesmo que tenha havia a presença, não será emitido certificado de participação e/ou publicação do trabalho/relato nos anais.

 

Histórico:

As conferências brasileiras de Mídia Cidadã visam reunir pesquisadores, militantes dos movimentos sociais, estudantes de comunicação, jornalistas, comunicadores comunitários, empresas de mídia, entidades governamentais e demais representantes da sociedade civil para dialogarem sobre o papel dos meios de comunicação na promoção da cidadania e dos direitos humanos; a participação das diversidades como sujeitos ativos no espaço midiático; o reconhecimento e a efetivação da comunicação como direito humano; ou seja uma ação indispensável para a concretização de uma sociedade que supere a democracia representativa e c
onstrua as bases de uma democracia participativa.

 

No ano de 2005, a Cátedra Unesco/Metodista de Comunicação para o Desenvolvimento Regional, com o apoio da WACC – World Association for Chistian Communication, realizou o primeiro seminário de Mídia Cidadã, com a presença de pesquisadores da área da Comunicação Social de todo o Brasil. Além da produção de conhecimento gerada nos três dias de debates, a partir da apresentação dos trabalhos científicos desenvolvidos por professores de diversas instituições de ensino superior, foi ratificada a necessidade de prosseguir com os encontros, a seguir em forma de conferências, tendo em vista muitas demandas históricas da realidade comunicacional do País e do mundo a serem pensadas e transformadas: concentração dos meios de comunicação em monopólios e oligopólios; marco regulatório obsoleto; criminalização das rádios comunitárias; avanços tecnológicos como internet, rádio digital e TV digital caminhando rapidamente sem debate e implementação de políticas públicas na área da comunicação, com base na complementaridade entre os sistemas público, privado e estatal de radiodifusão; discussão nacional e internacional sobre o direito humano à comunicação; ausência de encontros científicos que dessem visibilidade às pesquisas voltadas para as mídias não massivas/comerciais.

As conferências de Mídia Cidadã vêm, portanto, preenchendo uma lacuna existente no campo acadêmico brasileiro relativa à pesquisa com enfoque na participação da sociedade nos meios de comunicação, como objeto da informação e/ou detentora dos meios de produção e disseminação de conteúdos midiáticos, além de provocar o debate sobre a necessidade de se analisar o fenômeno da mídia cidadã com as mais diversas representações da sociedade civil.

Por três anos, o evento foi realizado na Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), em São Bernardo doCampo, e, em 2008, dando uma nova dimensão ao projeto, a IV Conferência Brasileira de Mídia Cidadã ocorreu na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com foco no diálogo entre as pesquisas acadêmicas produzidas no campo da comunicação social e as experiências de produção de mídia da sociedade civil, mercado e Estado. A quarta edição apresentou uma novidade: a realização da I Feira Nacional de Mídia Cidadã, um espaço para as organizações não governamentais, movimentos sociais, empresas e pesquisadores apresentarem suas experiências e serviços de comunicação cidadã.

Após quatro anos de conferências, um comitê gestor foi formado e consolidou- se a implementação da Rede Brasileira de Mídia Cidadã. E, em outubro de 2009, dando continuidade ao processo de disseminação da comunicação voltada para o desenvolvimento regional proposto pela Cátedra Unesco/Metodista, ocorreu em Guarapuava, na Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro) a V Conferência Brasileira de Mídia Cidadã. O evento reuniu representantes da sociedade civil, acadêmicos e profissionais que atuam nos meios de comunicação e ensino.

Em 2010, com a temática “Educação e cultura pela perspectiva da mídia: (des) construindo a cidadania”, a Faculdade de Pato Branco (Fadep), também no Paraná, foi sede da VI Conferência. Dando continuidade ao desenvolvimento de ações da Rede Brasileira de Mídia Cidadã, ocorreu pela primeira vez a I Conferência Sul-Americana de Mídia Cidadã.

Já em 2011, com o objetivo de fomentar a pesquisa acadêmica na Região Norte e a produção de conhecimento sobre a comunicação e os direitos humanos, a sétima edição da Conferência Brasileira de Mídia Cidadã e a II Conferência Sul-Americana de Mídia Cidadã foram realizadas na Universidade Federaldo Pará (UFPA), em Belém.

A VIII Conferência, em 2012, teve como tema «Mídia, Cidadania e Políticas Públicas» e foi realizada na Universidade de Brasília. O encontro reuniu profissionais dos meios de comunicação, pesquisadores da área, acadêmicos, integrantes de movimentos sociais, representantes da sociedade civil, professores e estudantes.

O Paraná sediou mais uma edição da Conferência Brasileira de Mídia Cidadã, desta vez em Curitiba, sob a responsabilidade da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que também realizou a “IV Conferência Sul-Americana de Mídia Cidadã”.

Após um intervalo de quase dois anos, a X Conferência Brasileira de Mídia Cidadã e a V Conferência Sul-Americana de Mídia Cidadã foram realizadas entre 22 a 24 de abril de 2015, no campus de Bauru da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), que teve como tema «Mídia Cidadã e Movimentos Sociais: desigualdades, resistências e mídia inclusiva”.




CIESPAL 2019

Av. Diego de Almagro N32-133 y Andrade Marín
Telf:(+593) 2548011
Quito-Ecuador
info@ciespal.org